top of page
Buscar

TEMA PARA O ANO – MAIO

MULHER CRISTÃ FIRMADA NA ROCHA A CAMINHO DO CÉU


“Pois isso está na escritura: Eis que ponho em Sião uma pedra angular, eleita e preciosa; e quem nela crer não será, de modo algum envergonhado.” (I Pe 2:5 – ARA)


SUGESTÃO DE ESTUDO PARA REUNIÃO DE MULHERES NO MÊS DE MAIO


VIVENDO A COMUNHÃO E FORTALECENDO NA UNIDADE DA GRAÇA

(Cl 3:12-17; I Ts 5:14 e 15 e Hb 10:24)


Creio que poucas coisas se comparam à agradável e saudável sensação de bem-estar e segurança que a de quando nos sentimos firmes. Inabaláveis, ainda que sacudidas vez ou outra por fortes tempestades imprevisíveis, que fogem ao nosso controle.


Iniciamos 2021 ainda sob o impacto ao qual fomos todos submetidos: uma pandemia. Algo não experimentado pela grande maioria da população ativa de nosso Planeta. Fomos todos impelidos, de maneira forçosa e abrupta, a mudarmos nossos planejamentos pessoais e familiares (em nossas casas), acadêmicos e profissionais (nas instituições educacionais e empresas), eclesiásticos e ministeriais (dentro de nossas igrejas).


Surpresas, assustadas e abaladas. Um evento planetário inesperado desestabilizou, por algum tempo, muitas de nós. Orientados pelos especialistas da área da saúde, seguimos no enfrentamento a esta nova realidade que, por medida preventiva, sugere-nos o isolamento social.


Neste contexto, como mulheres cristãs, temos um grande desafio em mãos: mantermo-nos unidas, firmes na Rocha inabalável que é Cristo, vivendo a comunhão e fortalecendo-nos na unidade da graça.


[...]temos um grande desafio em mãos:

mantermo-nos unidas, firmes na Rocha inabalável que é Cristo,

vivendo a comunhão e fortalecendo-nos na unidade da graça.


Em Colossenses 3:12, temos a reconfortante afirmação de que somos povo escolhido de Deus. Povo santo e amado, que tem, portanto, a Sua atenção e cuidado. Um povo que precisa revestir-se de profunda compaixão, bondade, humildade, mansidão e paciência. Um povo que precisa, conforme I Tessalonicenses 5:14 e 15, exortar os ociosos, confortar os desanimados, auxiliar os fracos, exercer a paciência para com todos. Esforçar-se por não retribuir o mal com o mal, mas ser bondoso, um para com o outro e para com todos. Um povo que precisa considerar e incentivar um ao outro, ao amor e às boas obras, como nos adverte Hebreus 10:24.

Amadas, estas verdades nos dão conta de que precisamos umas das outras para exercermos as virtudes acima citadas. Não podemos nos isolar, mesmo que o momento nos afaste fisicamente. De maneira prudente e cautelosa, precisamos ser criativas para desenvolvermos atividades que nos permitam estar em comunhão. Ligadas umas às outras. Apoiando-nos e fortalecendo-nos mutuamente.


Congrego na ICE Gama, e lembro-me de que, em março de 2020, assim que fora decretada a proibição da realização de cultos nos templos, aqui no Distrito Federal, fui tomada de uma perplexidade que me deixou temporariamente inerte. Deus havia me confiado a liderança do Ministério de Mulheres em Ação naquele ano. Havíamos nos programado, e o planejamento já estava a todo vapor. Estávamos animadas e esperançosas com os projetos em andamento. Subitamente nos deparamos não apenas com a descontinuidade dos trabalhos, mas com a impossibilidade de nos vermos, nos encontrarmos e congregarmos.


A situação parecia fugir ao nosso controle, mas estava inquestionavelmente, sob o controle do Soberano Deus. Uma “ferramenta de mídia social”, até então utilizada para avisos e informações: o grupo de mulheres em ação local, no Aplicativo WhatsApp, tornou-se nosso “Ponto de Encontro”. Descobrimos habilidades umas das outras, afinidades que tínhamos, e não sabíamos, expusemos trabalhos manuais, o cultivo de plantas domésticas, trocamos receitas e dicas variadas. Compartilhamos nossa impressão e sentimento sobre o momento o qual vivíamos. Desenvolvemos, em parceria com toda igreja, o projeto “Amor em Ação”, no qual pessoas e/ou famílias com necessidades urgentes, em função do desemprego, diminuição salarial, e doenças, decorrentes ou não da pandemia, foram adotadas por membros ou famílias de nossa igreja. Demos continuidade, da maneira possível, à obra, porque estávamos unidas a Cristo, e umas às outras. Próximas, ainda que geograficamente distantes. Esforçando-nos por viver a comunhão, colocando em prática os valiosos ensinamentos bíblicos de como devemos nos relacionar, exercendo profunda compaixão, bondade, humildade, paciência, exortando os ociosos, confortando os desanimados, auxiliando os fracos, não retribuindo o mal com o mal, incentivando uns aos outros ao amor e às boas obras.


Recursos tecnológicos podem ser muito bem aproveitados. O seu aparelho celular pode promover encontros incríveis por uma simples chamada de voz ou vídeo. Mesmo pelo envio e troca de mensagens. Pode possibilitar conversas que glorificam o nome de Deus, edificando, animando e fortalecendo a sua igreja.


Amadas, em tempos desafiadores, precisamos caminhar juntas. Precisamos umas das outras. Não se isole!!!!! Não deixe sua irmã isolada!!


Que o Senhor nos capacite a prosseguirmos juntas, atentas e obedientes à Sua Palavra. Atentas às necessidades umas das outras. Gratas a Ele por sermos povo escolhido, santo e amado. Povo que é feliz por desfrutar da comunhão com o Senhor e com os irmãos, e sente a necessidade de que outros também conheçam a Cristo através da proclamação do Evangelho.



ROMÉLIA LOTÉRIO

ICE GAMA - DF




22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page