top of page
Buscar

APRENDENDO SOBRE A DOUTRINA DO ESPÍRITO SANTO E SUA ATUAÇÃO EM TODA A BÍBLIA





Que grande bênção temos em poder estudar e compreender com mais clareza a personalidade, a divindade, a atuação e obra do Espírito Santo, reveladas por Ele mesmo à luz das Escrituras, mediante símbolos, nomes, eventos, dons, talentos e o fruto que o Seu agir produz em nós. Com essa compreensão, poderemos aprofundar ainda mais a nossa comunhão com Ele. Queremos dar início ao estudo do tema anual deste ano, buscando conhecer mais essa Pessoa tão importante.


Estamos falando da terceira Pessoa da Trindade Santa. O Espírito Santo participa da mesma natureza e essência de Deus Pai e de Seu Filho Jesus, ou seja, Sua Santidade, Eternidade, Soberania, Perfeição, Onisciência, Onipotência e Onipresença. O Espírito de Deus é Deus, com vontade própria (I Co 12:7); com sentimentos e emoções (Ef 4:30); com conhecimento pleno de todas as coisas (I Co 2:10); e Ele vivifica, regenera, santifica e consola nossas almas, habitando no crente, de forma permanente, desde o momento da sua conversão a Cristo Jesus.


Abrindo a Bíblia, podemos ver Sua atuação ao longo de toda a história do povo de Deus e da Igreja, de Gênesis a Apocalipse. Vamos dar uma olhada nisso?


1. A ATUAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO NO ANTIGO TESTAMENTO


Antes da criação, Ele era Deus. Foi Ele quem trouxe vida à criação, participando de cada etapa: “No princípio Deus criou os céus e a terra. Era a terra sem forma e vazia; trevas cobriam a face do abismo, e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas”

(Gn 1:1-2 – NVI). “Então disse Deus: Façamos o homem...” (Gn 1:26a – NVI).


Na Antiga Aliança, a capacitação para aqueles que foram escolhidos para tarefas determinadas por Deus veio Dele.


Na construção do Tabernáculo, concedeu habilidades excepcionais aos artesãos, aos artistas, ourives, curtidores, carpinteiros, construtores, compositores e o que mais fosse necessário, a fim de garantir uma obra perfeita (Ex 31:3). Lembremo-nos também do exemplo de José, que graças à capacitação recebida, foi bem-sucedido naquilo que fez (Gn 41:38). Josué participou da mesma unção, dando prosseguimento à liderança de Moisés, após Deus o levar. Em favor dele atesta as Escrituras, dizendo tratar-se de um “homem em quem está o Espírito” (Nm 27:18 – NVI).


Do Santo Espírito veio poder sobre Otniel, Gideão, Jefté e Sansão, além de outros juízes, a fim de libertar os israelitas das mãos de opressores (Jz 3,6,11,13). Derramou também da Sua unção sobre Davi, Salomão, Josafá, Josias e tantos outros reis de Israel e Judá. Aos profetas concedeu coragem, intrepidez, força e sabedoria (II Cr 24:20; Mq 3:8); inspirou também as profetisas Hulda e Débora, que não hesitaram em transmitir a Palavra de Deus.


Do Espírito veio a luz e a inspiração para os escritores que foram usados por Deus para escreverem o Antigo e o Novo Testamento, fazendo com que a Palavra de Deus fosse conhecida e proclamada de forma verdadeira em toda a terra. Hoje, os servos de Deus, inspirados pelo Espírito, continuam sendo capacitados para proclamar essa Palavra bendita e sua mensagem de Salvação.


2. A ATUAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO NO NOVO TESTAMENTO


Na Antiga Aliança, o Espírito Santo atuava de maneira pontual na vida daqueles que eram escolhidos para tarefas específicas, mas não habitava de maneira permanente nesses escolhidos. Já no Novo Testamento, encontramos inúmeras referências sobre a atuação permanente Dele na vida dos filhos de Deus.


Mesmo antes do nascimento de Jesus, Deus já vinha preparando tudo para aquele momento enviando o Seu Espírito, de maneira a cumprir as profecias. João Batista, o precursor do Messias, seria cheio do Espírito desde o ventre materno; Isabel, sua mãe, ficou cheia do Espírito ao hospedar Maria, já grávida de Jesus. Zacarias, cheio do Espírito, profetizou a respeito do ministério de seu filho.


Com Jesus, o Espírito atuou desde Sua concepção, gerando a semente divina no ventre de Maria; esteve presente em todo o Seu crescimento, mas Se manifestou claramente em Seu batismo e ministério: “Jesus voltou para a Galiléia no poder do Espírito, e por toda aquela região se espalhou a sua fama” (Lc 4:14 – NVI). Jesus referiu-se à presença do Espírito em Sua vida quando, na Sinagoga de Nazaré, citou Isaías 61:1-2, dizendo: “O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres;  enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor.” (Lc 4:18-19 – ARA)


Jesus prometeu aos discípulos que enviaria o Espírito Santo: “Mas o Conselheiro, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, lhes ensinará todas as coisas e lhes fará lembrar tudo o que eu lhes disse” (Jo 14:26 – NVI). “Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra. “ (At 1:8 – NVI)


A partir de Atos 2, a promessa de Jesus se cumpriu com a descida do Espírito Santo, no Pentecostes. Os discípulos receberam poder para testemunhar de Cristo, para realizar milagres, pregar o Evangelho, edificar a Igreja, realizar o serviço cristão e para enfrentar todo o tipo de oposição ao Evangelho.


O Apóstolo Paulo, em suas Epístolas, escreve sobre a atuação do Espírito Santo na vida do crente. Em Romanos 8, ele diz: “As pessoas que vivem de acordo... com o Espírito Santo têm a sua mente controlada pelo Espírito” (NTLH). Em I Coríntios, capítulos 12-14, ele fala a respeito das variedades de dons espirituais concedidos a cada crente pela escolha do Espírito. Em Gálatas, ele escreve sobre o Fruto do Espírito, que deve ser desenvolvido na conduta de cada crente: “Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei” (vs. 22,23 - NVI).


Durante este ano de 2024, refletiremos sobre cada uma das virtudes do Fruto do Espírito. Que você possa desfrutar desses ensinos e aplicá-los na sua caminhada cristã.


O Espírito Santo é o nosso Mestre. Ele nos ensina a desenvolver nossos dons, a testemunhar de forma eficaz e vivenciar o Fruto do Espírito em nosso cotidiano. “Mas o Conselheiro, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, lhes ensinará todas as coisas e lhes fará lembrar tudo o que eu lhes disse” (Jo 14:26 – NVI). 


PARA PENSAR:


• Se servimos e amamos a Deus e o

Espírito Santo é Deus, temos procurado

conhecer e nos relacionar com Ele,

como nosso Deus?


• Que tal estudar com mais calma cada

detalhe deste estudo, marcando as

referências em sua Bíblia e pedindo

Sua ajuda para experimentar o agir

Dele em você e através de você? 


Por Delma de Bastos Carvalho 





417 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commenti


bottom of page