top of page
Buscar

O ÚNICO SENHOR DOS MEUS TEMORES


“Busquei o Senhor, e ele me respondeu; livrou-me de todos os meus temores”

(Sl 34:4 – NVT)


“Não temas!” Você sabia que essa expressão se repete por 366 vezes ao longo da Bíblia? O Senhor nos conhece profundamente, sabe dos medos em nosso coração e nos diz, uma e outra vez: “Não temas!”


Temos medo(s). Talvez o plural defina melhor a realidade humana. Nossos medos podem estar relacionados às situações externas, como violência, questões humanitárias, sanitárias e políticas no mundo. Podem estar associados à sobrecarga de notícias, verdadeiras ou falsas, que chegam até nós. Mas os medos mais frequentes e intensos são os que nos atingem pessoalmente e aos nossos queridos: medo de morrer ou perder quem amamos, medo do que pode acontecer com os filhos, medo de adoecer, de passar necessidade, medo da solidão. E ainda existe, no meio cristão, o medo do inimigo e do seu poder para matar, roubar e destruir.


Os efeitos dos medos são diversos. Pode ser uma mãe que não consegue dormir enquanto seu filho não chega em casa; ou uma esposa que não compartilha seus sentimentos com medo da reação do marido; ou uma pessoa que não consegue sair de casa e vive isolada, e tantos outros. Em diferentes graus, os medos podem interferir, e muito, na qualidade de vida, gerando ansiedades, distúrbios do sono, isolamento, solidão e muitos outros sintomas.


Pela graça do Senhor, a grande maioria dos nossos medos não se concretizam! Bendita graça do Pai! Mesmo assim, o medo é real e apavorante para quem convive com ele. O Salmo 112 é um texto que me encanta: “Bem-aventurado o homem que teme ao Senhor...; não se atemoriza de más notícias; o seu coração é firme, confiante no Senhor” (v.1,7 – ARA). Temos duas vezes a palavra temer, com um claro contraste entre elas: quem “teme ao Senhor” é feliz e “não teme as más notícias”.


Eu não quero viver atemorizada... e você? Convido-a a analisar comigo esse versículo e ver o que ele nos ensina a fim de nos livrarmos de nossos temores.


1. O VERSÍCULO NOS ENSINA QUE EXISTE UM TEMOR (Sl 112:1) – O texto nos ensina que existe um temor que nos livra de todos os outros temores. Um temor que não causa danos, mas nos fortalece e nos permite ser verdadeiramente felizes. Temer a Deus é conhecer quem Ele é; é confiar em Seu poder para cuidar de nós e nos sustentar em todo tempo. Inclusive para nos livrar do maligno: “Mas o Senhor é fiel; ele os fortalecerá e os guardará do Maligno” (II Ts 3:3 – NVI).


Conhecemos pouco do temor a Deus e muito dos outros medos. Entender de onde vem o medo pode nos ajudar na caminhada. Encontramos o primeiro registro do medo no jardim do Éden. Logo após o pecado, Deus perguntou a Adão, “Onde estás?”, e ele respondeu: “Ouvi a tua voz no jardim, e, porque estava nu, tive medo, e me escondi” (Gn 3:9-10 – ARA). Que diálogo revelador!


É lógico que Deus sabia onde Adão estava. Sua pergunta não foi para obter informação, mas uma oportunidade para Adão avaliar a própria condição e o resultado da triste escolha que fez. E isto na presença do Senhor.


Adão entendeu que seu medo vinha da percepção da própria fragilidade. Com o pecado, ele passou a ver a própria nudez. E ainda identificou a consequência do seu medo: fuga de Deus, isolamento. Ao invés de correr para Deus, Adão correu de Deus, tentou se esconder do seu Criador. Suas ações atingiram, além de si mesmo, seu relacionamento com Deus, com sua esposa e com a criação. É triste perceber que nossos medos podem ter desdobramentos semelhantes.


2. O VERSÍCULO NOS ENSINA QUE NÃO PRECISAMOS NOS ATEMORIZAR (Sl 112:7) – Existe um padrão que se repete, com causa e consequência. Nossos medos afloram quando nos vemos vulneráveis, frágeis, nus, sem recursos próprios para lidar com a situação real ou mesmo com a expectativa do que pode acontecer. Quando vemos a realidade, as pessoas, as situações como ameaças capazes de nos ferir e destruir, temos medo.


É importante considerar, que, em certa medida, o medo pode ser bom. É quando nos ajuda a evitar o perigo ou nos afastar do mal. Vamos considerar um adolescente que sabe histórias de amigos dependentes de drogas e as lutas que enfrentam. O medo deste adolescente pode ser positivo, se o levar a buscar ajuda para não cair na mesma situação.


Para lidar com o medo, o primeiro passo é reconhecer que ele existe, encarar a verdade. Não há vergonha em dizer “Eu tenho medo”. Ignorar ou fazer de conta que o medo não existe não ajuda. O apóstolo Paulo reconheceu que tinha “lutas por fora, temores por dentro” (II Co 7:5 – ARA). Do que você tem medo? Peça que o Senhor te ajude a identificar seus medos.


A partir do reconhecimento do medo, devemos buscar o Senhor, em um movimento contrário ao que fez Adão, quando se escondeu do seu Criador. Na presença do Senhor, somos acolhidos, amados, curados, confrontados, encorajados e transformados. Deus sabe exatamente o que precisamos e está sempre pronto a nos tratar com misericórdia e bondade. Nessa perspectiva, o medo pode ser uma oportunidade para nos aproximarmos mais de Deus.


3. O VERSÍCULO NOS ENSINA QUE PRECISAMOS CONFIAR NO SENHOR (Salmos 112:7) – Foi o que aconteceu com Davi, quando fugiu de Gate para a caverna de Adulão: “busquei o Senhor, e ele me acolheu; livrou-me de todos os meus temores” (Sl 34:4 – ARA). As lutas externas não haviam acabado, mas a ação de Deus era evidente em sua vida; Davi se viu seguro e livre no Senhor. Você tem buscado o Senhor em meio aos medos?


Davi também disse: “ainda que eu ande no vale da sombra da morte, não temerei mal algum” (Sl 23:4 – ARA). Podemos pensar que Davi era sobre- -humano, um cristão excepcional, alguém superior e bem diferente de nós. Mas, em meio ao maior dos medos, ele tinha um motivo para não temer: “porque tu estás comigo”. A presença de Deus era real, e Davi sabia o quanto dependia do seu Pastor e não se afastava Dele. “Tu estás comigo” pode também ser o sussurro do seu coração...


Esse é o caminho em meio aos nossos muitos medos: dependência cada vez maior de Deus, onde podemos crer um pouco mais, descansar um pouco mais, confiar um pouco mais no Senhor, lembrando que o Seu “perfeito amor lança fora o medo” (I Jo 4:18 – ARA). Bendito e Perfeito Amor do Pai!


CONCLUINDO, querida irmã, que cada um dos teus medos seja uma preciosa oportunidade para que você conheça mais e mais o único Senhor dos teus temores! Ouça atentamente, memorize e descanse nas palavras do Pai: “Assim diz o Senhor, que te criou, ó Jacó, e que te formou, ó Israel: Não temas, porque eu te remi; chamei-te pelo nome, tu és meu.” (Is 43:10 – ARA).


Por Elayne Manzano

27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

コメント


bottom of page