top of page
Buscar

Conversa entre nós


“EM TUDO, DAI GRAÇAS, PORQUE ESTA É A VONTADE DE DEUS

EM CRISTO JESUS PARA CONVOSCO” (I Ts 5:18)

Lílian Silveira

Líder Nacional de Mulheres em Ação (2019-2022)



Estamos no início de mais um ano, completando o segundo ano de Pandemia e nosso coração está sendo desafiado a dar graças a Deus Pai por tudo que Ele tem feito. Mesmo que não tenhamos como justificar ou explicar muitos dos acontecimentos, sabemos que o Senhor está no controle, Ele continua sendo o Deus bom que cuida dos Seus filhos e sabe o que é melhor para todos nós.

Gratidão é o sentimento que deve nos mover em tudo. Aliás, é mais que um sentimento, é uma decisão para a vida. Ser grato é um estilo de vida que, junto com a alegria, move a vida daquele que um dia conheceu a Cristo.

Dar graças por tudo não é algo irracional, pelo contrário, é fruto do que Paulo coloca nos dois versículos anteriores: “Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar”. Dar graças por tudo implica em uma vida de oração. E uma vida de oração nos leva a estar sempre confiantes de que Deus é soberano.

Essa confiança na soberania de Deus, em Seu cuidado, Seu amor e zelo pelo Seu povo nos faz descansar nos braços do Altíssimo. Salmo 62:1 e 2 diz: “A minha alma descansa somente em Deus; dele vem a minha salvação. Somente ele é a rocha que me salva; ele é a minha torre segura! Jamais serei abalado!”

Confiadas nesse Deus maravilhoso é que podemos procurar ser Mulheres Inspiradoras, Influenciadoras e de Bom Testemunho, como somos desafiadas pelo nosso tema anual de 2022. Nosso desejo é que todas nós possamos deixar nosso legado de fé para as próximas gerações. Um legado de mulheres que confiam no Senhor e dependem exclusivamente Dele. Mulheres que vivem em oração, se alegrando no Senhor e sendo gratas por tudo.

Gratidão deixa fora a murmuração, a reclamação, o descontentamento. Um coração grato serve. Um coração grato se torna inabalável. Um coração grato se dispõe para a obra.

Este ano é ano de eleição, não só no ministério de mulheres, mas também na MEAN, e em nosso país. Precisamos, então, buscar sabedoria do alto e nos dispormos, diante de Deus, para o exercício desse ministério com diligência; devemos também buscar discernimento para usarmos o nosso direito de votar, em qualquer que seja a instância, pensando em cumprir a vontade de Deus, sabendo que temos um importante papel como cidadãos dos céus, vivendo neste mundo por passagem, com um fim específico: o de proclamar as virtudes Daquele que nos chamou das trevas para a luz (I Pe 2:9).

Que possamos decidir em nosso coração sermos gratas, firmes na fé, e sempre abundantes na obra, sabendo que, no Senhor, nosso trabalho não é vão (I Co 15:58).


ANO XXXIII JAN - ABR/2022 Nº102

46 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page